Bem vindo ao Alentejo

Alentejo"Emerge a planície, num tom triste, do ventre duma terra fecundada, onde a esperança canta uma alvorada a cada homem do sul qu’inda resiste. Amarro o meu olhar à terra calma, lonjura dos espaços cor de trigo, terra raíz, do sonho onde me abrigo, da saudade que dói e fere a alma. Ganham-me asas o sonho e a distância, que vão desde o que sou, à minha infância, prisioneiro eterno dos seus espaços. E à planície que um dia me deu vida, vou pedir que também me dê guarida, quando voltar de vez para os seus braços." Orlando Fernandes in Alentejo… e Outros Poemas.

A Vila do Redondo

RedondoUma vila portuguesa no distrito de Évora, região do Alentejo e sub-região do Alentejo Central, a 35 km de Évora com cerca de 7 800 habitantes.
Segundo a lenda, a fundação da vila está relacionada com "O penedo Redondo" que existiu no primitivo amuramento medieval. Como curiosidade, no início do século XV a vila de Redondo, outrora um ponto obrigatório de escalada para viajantes de Évora, Vila Viçosa e Alandroal, estava praticamente despovoada. A pedido dos procuradores da vila, D. João I em 1418, proibiu o uso de outras estradas naquele circuito, obrigando todos os viajantes a passarem por esta vila.
Convidamo-lo vivamente a agir hoje como antigamente e a fazer do Redondo uma paragem obrigatória das suas viagens. A vila é conhecida sobejamente pelos seus vinhos, azeites e olarias. Podem realizar-se visitas a estes locais na Serra D’Ossa a pé, em btt ou de jipe. Um exemplo da proximidade entre o passado e o futuro.


O Monte da Coelha

o MonteVelho monte pelo que rezam as crónicas dos mais anciães dedicado a criação de coelhos, mais tarde ao pastoreio, porcos e olival. Era composto por uma horta, agora transformada em picadeiro. Por uma malhada, que derrubada e com a sua rocha de xisto escavada passou a campo de ténis e futebol. O velho poço cheio por águas pluviais, que servia para alimentar o tanque da horta, ainda existe e foi transformado numa piscina para crianças. As ruínas em xisto da velha casa do burro e alfaias permitiram erguer as paredes da nova piscina principal. Por último, a casa do pastor e as suas cabras foi demolida e reaproveitado o espaço para um bungalow, mantendo o traço original e parte do velho chão de tijoleira. Todo o reaproveitável tornou-se numa realidade presente.
Veja a nossa localização em detalhe aqui.