A Columbofilia no Monte da Coelha

columbofiliaÉ uma história de compadres, ou não estaríamos no Alentejo. É o seguimento de mais uma etapa na vida de uma família columbófila. A família Robalo. Primeiro o António e seguindo as suas passadas o seu filho Luís, também apaixonado por pombos. A estes juntou-se um tal seu compadre Pedro, então miúdo e agora graúdo que nunca compreendeu, e continua sem compreender, como é que os pombos soltos de tão variados locais e distâncias, sempre (ou quase sempre) voltam ao seu pombal.
Com 40 anos de existência, o velho pombal de Lisboa tornou-se inviável por causa da vizinhança. Assim, e de comum acordo, o Luís e o Pedro foram obrigados a retirar os campeões de Lisboa num curto espaço de tempo. Vieram para o Alentejo, Redondo, inicialmente em condições precárias mas demonstrando sempre o seu valor.

40 anos de experiência e resultados

A experiência dos resultados segue bem patente nas veias dos nossos pombos campeões, por isso são pombos-correio.
Primeiro chegaram os borrachos já muito tardios, seguidos dos reprodutores. Logo no primeiro ano a concorrer na Sociedade Columbófila Asas Redondenses, onde fomos magnificamente acolhidos, e com o reduzido número de 30 pombos ao início da campanha 2008 devido à tardia mudança de pombais, os resultados foram óptimos: 1º anilha de ouro de borrachos, 1º anilha de ouro de velocidade, 2º anilha de prata de velocidade borrachos, 2º da geral de velocidade e 3º anilha de bronze de meio-fundo. Criou-se assim uma grande expectativa quanto ao futuro.

As melhores condições

Estão de novo reunidas as condições para melhorar o nível de resultados e a criação de bons e melhores pombos-correio, fruto de muita humildade, trabalho e querer. De investimento, investigação, critério e até um pouco de sorte. Sem entrar em loucuras!
As linhas cultivadas com muita selectividade, continuam hoje a ser as mesmas de sempre, as mais antigas. Fabry, Ècaillé, Tonecas, Simon, Elloys e Cells, aos quais numa segunda fase juntámos os belgas do Chico, Álvaro Silva, Dr. Barros Madeira e mais alguns eleitos. Numa terceira fase mais internacional e atendendo aos condicionalismos da evolução do tipo de pombo ganhador, introduzimos os Janssen de Arendonk, Gaby Vandenabeele, De Saer Antoine & Rudi, Cools Blanche, Rick Cools, Lucien Van Denbonche, Van Hove - Uytterhoeven, Nouwen Paesen, Louis Van Loon, G. Koopman Van Lest Peeters, Patrick & Guido Claes e outros.
Este é o resultado final de quatro décadas de experiência columbófila, que temos disponíveis para nós próprios e para os columbófilos mais exigentes e interessados.
Bem-haja os campeões.